menu
Sete Lagoas - MG | Whatsapp: 31 996167463
Mega Cidade
Sete Lagoas - MG
VIAGEM
ESPECIAIS
ESPECIAIS
VIAGEM
Postada em 15/01/2018 ás 10h57 - atualizada em 15/01/2018 ás 10h57
Papa Francisco embarca para visitar o Chile e o Peru
A viagem do papa, que foi definida por assessores do Vaticano como "complexa", inclui uma vasta programação de encontros com comunidades carentes da região.
Papa Francisco embarca para visitar o Chile e o Peru

Papa Francisco é visto embarcando para a América do Sul, onde deve visitar o Chile e o Peru (Foto: Max Rossi/Reuters)

O papa Francisco iniciou nesta na manhã desta segunda-feira (15) sua 22ª viagem ao exterior, com destino ao Chile, onde fica de 15 a 18 de janeiro, e ao Peru, com estada de 18 a 21 de janeiro. O pontífice partiu às 6h (horário de Brasília) do aeroporto de Fiumicino, em Roma. A viagem do papa se anuncia como complexa, afirmou cardeal Pietro Parolin, que admitiu na semana passada que "não será uma viagem simples".



Durante sua permanência de três dias no Chile (de 15 a 18 de janeiro) , Francisco se reunirá com autoridades, comunidades indígenas, religiosos e pessoas carentes, em Santiago, Temuco (600 km ao sul de Santiago) e Iquique (1.800 km ao norte), onde vai celebrar missas. O papa argentino, de 81 anos, volta a um Chile muito diferente do que conheceu em seus anos de seminarista, nos anos 1970.



Francisco será recebido pela atual presidente, Michelle Bachelet, uma dirigente laica que promoveu o matrimônio homossexual e a descriminalização do aborto, medidas muito criticadas pela Igreja. Sua visita ao Chile também poderá ser marcada por manifestações de associações internacionais de vítimas de abusos sexuais por parte de padres da Igreja católica.



"A Igreja tem problemas e aposta em um discurso de valorização e reafirmação, apontando para o reforço da família, a rejeição ao aborto e ao casamento homossexual, mas atravessa conflitos internos: sacerdotes que cometeram abusos sexuais", afirma Cristian Parker, especialista em sociologia da religão da Universidade de Santiago.



No Peru, onde ficará de 18 a 21, o papa encontrará um país em plena crise política, depois do polêmico indulto concedido pelo presidente Pedro Pablo Kuczynski ao ex-presidente Alberto Fujimori, condenado por crimes contra a humanidade, o que desatou uma onda de protestos. Esta é a sexta viagem do papa à América Latina, depois do Brasil (2013), Equador, Bolívia e Paraguai (2015), Cuba (2015), México (2016) e Colômbia (2017).



Além de encontros com povos indígenas em ambos os países, Francisco tratará ainda de outro tema de preocupação para essas populações: "a corrupção que impede o desenvolvimento e que também impede vencer a pobreza e a miséria", relatou Parolin. O papa Francisco confirmará uma vez mais seu compromisso para com as camadas mais esquecidas de sua região, tal como fez no México, Equador, Bolívia, Paraguai e Colômbia.



Cronograma



Em Temuco, 600 km ao sul de Santiago, o papa se dirigirá à população mapuche (7% da população chilena) que ocupava um vasto território antes da chegada dos conquistadores espanhóis ao Chile em 1541. Na capital de La Araucanía, Francisco denunciará os abusos sofridos pela comunidade mapuche, que luta há décadas por seus direitos e que conta com uma minoria radicalizada que protagonizou violentos protestos e atacou até igrejas e seminários católicos.



Em Puerto Maldonado, em plena região amazônica peruana, onde reina a pobreza e a exploração, Francisco será recebido por 3.500 representantes dos povos nativos, alguns procedentes da Bolívia e do Brasil. Depois de Temuco, onde almoçará com oito membros da comunidade mapuche e de uma colorida missa com músicas indígenas, o papa abrirá simbolicamente o sínodo especial de bispos dedicado à defesa da Amazônia e suas populações. O sínodo será inaugurado em outubro de 2019, em Roma.



Na chilena Iquique, antes de partir para o Peru, Francisco se reunirá com duas vítimas da ditadura de militar de Augusto Pinochet na década de 1970, um gesto simbólico para recordar os anos mais negros da história desse país. O Vaticano também não descartou que o papa se reúna no Peru com familiares de vítimas de violações dos direitos humanos indignadas com o indulto dado a Fujimori.



Também não se exclui que, ao sobrevoar a Argentina, seu país natal, que em quase cinco anos de pontificado evitou visitar, ele anuncie a data de sua esperada viagem.



Por France Presse




leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Enquete
Você é a favor o fim do horário de verão?

Sim
2601 votos - 72.5%

Não
986 votos - 27.5%

facebook
publicidade
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados