menu
Sete Lagoas - MG | Whatsapp: 31 996167463
Mega Cidade
Sete Lagoas - MG
VACINA
SAÚDE
SAÚDE
VACINA
Postada em 30/01/2018 ás 11h12 - atualizada em 30/01/2018 ás 11h12
População da zona rural começa a ser vacinada contra a Febre Amarela
Postos de vacinação foram montados nas comunidades de Estiva, Quinta das Varginhas, Lontrinha e Pousada do Sol.
População da zona rural começa a ser vacinada contra a Febre Amarela

No último sábado, 27 de janeiro, a Prefeitura de Sete Lagoas, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, deu início ao mutirão de vacinação contra a Febre Amarela na zona rural da cidade. Postos de vacinação foram montados nas comunidades de Estiva, Quinta das Varginhas, Lontrinha e Pousada do Sol.



A decisão de realizar o mutirão durante o fim de semana se deu em virtude da necessidade de imunizar uma parcela da população que, por razões diversas, não consegue se dirigir às unidades de saúde durante o horário regular de funcionamento. “Muitas dessas pessoas trabalham e, por falta de tempo, acabam não indo até os postos se vacinarem” explica Sueli Lacerda, superintendente de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde.



A preocupação com a população da zona rural se justifica em função de essas regiões concentrarem boa parte do público alvo da campanha, que são homens com idade entre 25 e 45 anos, que moram ou trabalham em regiões próximas a matas. “Esse público é o maior entre os casos confirmados de Febre Amarela já registrados, e também o que apresenta menor índice vacinal”, afirma Sueli.



Na região da Pousada do Sol, um ponto de vacinação foi montado na Mercearia da Beatriz. Ao todo, 26 pessoas receberam a dose de vacina. “A procura, no entanto, foi bem maior que isso. Muita gente que já havia sido vacinada em algum momento da vida procurou o posto, mas como a recomendação do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde é de apenas uma dose durante toda a vida, não houve necessidade de revacinação”, explica a superintendente de Vigilância Epidemiológica.





A mesma situação se repetiu na comunidade de Estiva, onde 78 pessoas foram vacinadas. Aderiram à campanha, além de moradores da região, funcionários de empresas instaladas naquela localidade que, apesar de não serem residentes, frequentam a zona rural e, portanto, se encaixam no perfil do público alvo da campanha.



Nas comunidades de Quinta das Varginhas e Lontrinha foram imunizadas, respectivamente, 29 e 17 pessoas. De acordo com Sueli Lacerda, o número de vacinas não foi maior porque, no ano passado, foi realizada uma campanha de vacinação contra a Febre Amarela nessas localidades em razão do surgimento de macacos mortos na área. “Como houve casos de epizootias, foi realizado um bloqueio vacinal em algumas dessas comunidades, então grande parte da população já estava imunizada contra a doença”, contou.



A vacinação contra a Febre Amarela na zona rural de Sete Lagoas continua nos próximos dias. Em 3 de fevereiro será a vez das comunidades de Tamanduá, Lontra, Areias e Silva Xavier. Em 6 de fevereiro, a vacinação se dará com a equipe ESF Fazenda Velha na localidade de  Morro Redondo. Nessa região, no entanto, não haverá postos de vacinação. A imunização será feita de casa em casa, direcionada a pessoas que nunca receberam a vacina na vida. “Os agentes comunitários de saúde dessas regiões já fizeram um levantamento e identificaram quem são as pessoas que nunca se vacinaram. Por isso, serão ações pontuais”, explica Sueli Lacerda.



A secretária de saúde de Sete Lagoas Vanessa Lopes Alves Ferreira ressalta que a Prefeitura tem disponibilizado a vacina para toda a população, independente da região onde mora. “Para a população em geral, a vacina contra a Febre Amarela está disponível nos 18 postos de saúde da cidade que possuem sala de vacinação, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h”. Vale lembrar que apenas uma dose é capaz de proteger por toda a vida, independente de quando ela foi tomada. “Como esse protocolo mudou há pouco tempo, alguns cartões de vacina ainda possuem um lembrete para revacinação, mas isso não será necessário, como preconizam o Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde”, lembra Sueli.



Natália Maryelle Estagiária da Ascom da Secretaria de Saúde de Sete Lagoas




leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Enquete
Você é a favor o fim do horário de verão?

Sim
2465 votos - 72.2%

Não
950 votos - 27.8%

facebook
publicidade
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados