menu
Sete Lagoas - MG | Whatsapp: 31 996167463
Mega Cidade
Sete Lagoas - MG
PESQUISA
ECONOMIA
ECONOMIA
PESQUISA
Postada em 22/05/2017 ás 15h14 - atualizada em 22/05/2017 ás 15h14
Embrapa realiza Dia de Campo na Fazenda Lagoa dos Currais
Empresa de pesquisa incentiva sistema integrado no campo
Embrapa realiza Dia de Campo na Fazenda Lagoa dos Currais

Integração lavoura e pecuária traz resultados positivos para o produtor rural

A Embrapa e o Grupo Seleção Guzerá realizaram um Dia de Campo para divulgar informações técnicas sobre o sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) e a marca-conceito "Carne Carbono Neutro (CCN)", em Codisburgo-MG, no dia 11 de maio.



O evento aconteceu na Unidade de Referência Tecnológica (URT) da Embrapa, instalada na Fazenda Lagoa dos Currais, propriedade do Grupo Seleção Guzerá. E contou com a participação de mais de 200 pessoas, entre técnicos extencionistas, produtores rurais, estudantes, pesquisadores, autoridades públicas e empresários do setor florestal e da cadeia produtiva da carne e do leite.



Os Chefes-Gerais Cleber Oliveira Soares, da Embrapa Gado de Corte, e Antônio Álvaro Corsetti Purcino, da Embrapa Milho e Sorgo, estiveram presentes em todas as estações. Soares destacou a realização do Curso itinerante, voltado para a divulgação do conceito Carne Carbono Neutro. "Aqui, na Fazenda Lagoa dos Currais, se vivencia uma situação real, possível nos Trópicos. É uma referência para o mundo", disse. Ele acrescentou que o componente florestal mitiga a emissão dos gases efeito estufa (GEE). "Com isso, temos um saldo positivo de Carbono no centro de produção. E a carne é passível de receber o selo de certificação Carne Carbono Neutro."



Purcino ressaltou que o sistema ILPF já é adotado em mais de 11 milhões de hectares no Brasil. "Isso comprova que nosso país cumpre sua missão, assumida nos fóruns internacionais, para preservar o meio ambiente. Com essas tecnologias conseguimos produzir mais pasto, durante o ano, inclusive nos períodos de restrição hídrica, e uma carne de melhor qualidade e de maior valor agregado", disse.



Estações técnicas



As atividades do Dia de Campo foram coordenadas pelos pesquisadores Emerson Borghi e Fabiana Villa Alves, das Unidades da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG) e Gado de Corte (Campo Grande-MS), respectivamente. As palestras aconteceram em quatro estações, onde foram abordados os temas: Estação 1 - Componente Animal (Genética Guzerá S); Estação 2 - Componente Solo; Estação 3 - Componente Forrageiro e Conceito Carne Carbono Neutro; e Estação 4 - Componente Florestal.



O engenheiro agrônomo Antônio Salvo falou sobre a genética Marca Guzerá S e os critérios de seleção adotados. "Trabalhamos para aumentar o que a raça tem de pontos positivos e melhorar o que for necessário. O ILPF agrega valor à carne, permite o bem estar animal e mais lucro por hectare", disse.



Os pesquisadores Álvaro Resende e Emerson Borghi, da Embrapa Milho e Sorgo, apresentaram os componentes Solo e Planta. Resende abordou a importância da fertilidade do solo. "Antes de mais nada, precisamos conhecer o solo para identificar e controlar os fatores limitantes. Práticas como calagem, gessagem e fosfatagem são o início de tudo", explicou. Ele recomendou que os recursos financeiros devem ser usados da melhor forma possível. "Nos solos da região do cerrado, normalmente a primeira ação é corrigir a acidez do solo, elevar a disponibilidade de Fósforo, para então, investir em outros nutrientes, como Nitrogênio e Potássio", frisou.



Já Emerson Borghi ressaltou que a palavra chave para todo bom empreendimento é o planejamento, para que a propriedade possa expressar o máximo do seu potencial produtivo. "Em um sistema onde o solo e a pastagem são bem manejados há menos risco de erosão e ocorre a melhoria da fertilidade do solo". Ele acrescentou que "o consórcio de culturas graníferas e forrageiras com espécies forrageiras tropicais promove a produção de silagem ou de grãos, e, posteriormente, a formação de um pasto para fornecer alimento aos animais nos períodos mais secos do ano".



O pesquisador Miguel Gontijo, da Embrapa Milho e Sorgo, apresentou o conceito de ILPF e falou sobre as alterações morfo-anatômicas observadas nas forrageiras sob sombreamento.



Segundo Gontijo, o aumento do sombreamento causa reduções de produtividades de forragem. E As pastagens nestes sistemas devem ser manejadas com intensidades de pastejo moderadas. "As estratégias de manejo do componente arbóreo a serem adotadas visam reduzir a pressão de competição das árvores sobre o capim", explicou.



O pesquisador ressaltou alguns benefícios do componente florestal em sistemas integrados, como por exemplo: diversificação de produtos e renda; ciclagem de nutrientes no solo, biodiversidade, conforto para o animal e fixação de CO2 (dióxido de Carbono). "A gente acredita que os sistemas integrados são alternativas viáveis para a recuperação da pastagem degradada. Queremos intensificar o uso dessas tecnologias", afirmou Gontijo.



Os pesquisadores André Dominghetti e Fabiana Alves, da Embrapa Gado de Corte, falaram sobre o componente Florestal. Segundo Dominghetti, uma das funções deste componente florestal é amenizar a temperatura. Mas, outro objetivo importante é a produção da madeira. "O foco principal é a produção de madeira cerrada, com boa tora para favorecer a comercialização. Isso agrega muito valor", pontuou.



Carne Carbono Neutro



A Fazenda Lagoa dos Currais tem uma área planejada de 1.200 hectares com Sistemas Silvipastoris para Bovinos de Corte, sendo que a URT implantada tem por finalidade validar o protocolo Carne Carbono Neutro.



O pesquisador Roberto Giolo, da Embrapa Gado de Corte, apresentou o conceito Carne Carbono Neutro. "Para se ter uma produção de Carne Carbono Neutro é preciso ter um sistema de produção que contemple o componente florestal", ressaltou.



O selo Carne Carbono Neutro (CCN) é uma marca-conceito registrada pela Embrapa no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Este selo visa atestar a carne bovina que apresenta seus volumes de emissão de gases de efeito estufa (GEEs), neutralizados durante o processo de produção, pela presença de árvores em sistemas de integração tipo silvipastoril (Pecuária-Floresta, IPF) ou agrossilvipastoril (Lavoura-Pecuária-Floresta, ILPF), por meio de processos produtivos parametrizados e auditados.



Para conhecer mais a marca-conceito CCN, consulte o  Documento 210 - Carne Carbono Neutro: um novo conceito para carne sustentável produzida nos trópicos, produzido pela Embrapa Gado de Corte e disponível na série Documentos da Embrapa.



Para mais informações sobre ILPF, visite a página https://www.embrapa.br/web/rede-ilpf



Apoio e Patrocínio



O Dia de Campo teve o apoio da Associação Mineira dos Criadores de Zebu (AMCZ), da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-MG), do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), do Sindicato dos Produtores Rurais de Curvelo (SPRC) e da Rede de Fomento Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (Cocamar, Dow AgroSciences, John Deere, Parker, Syngenta, Embrapa, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).




leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Enquete
Qual show você gostaria de ver na 51ª Exposete?

Wesley Safadão
1434 votos - 24.7%

Outro
1118 votos - 19.2%

Marília Mendonça
1069 votos - 18.4%

Jorge e Matheus
833 votos - 14.3%

Simone e Simaria
508 votos - 8.7%

Cabaré (Leonardo e Eduardo Costa)
442 votos - 7.6%

Gustavo Lima
412 votos - 7.1%

facebook
twitter
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados