menu
Sete Lagoas - MG | Whatsapp: 31 996167463
Mega Cidade
Sete Lagoas - MG
MEIO AMBIENTE
ESPECIAIS
ESPECIAIS
MEIO AMBIENTE
Postada em 03/06/2017 ás 08h45 - atualizada em 03/06/2017 ás 08h45
Minas Gerais avança na conservação e regeneração do meio ambiente
Trabalho feito pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) com participação da sociedade garante redução dos índices de desmatamento e aumento de áreas regeneradas no estado
Minas Gerais avança na conservação e regeneração do meio ambiente

Parque do Rio Doce (Foto Carlos Alberto/Imprensa MG)

Na véspera da Semana Mundial do Meio Ambiente, celebrada a partir da próxima segunda-feira (5/6), Minas Gerais tem motivos para comemorar e também muitos desafios pela frente. Dados do Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, da Fundação SOS Mata Atlântica, apontam que o desmatamento do bioma caiu 4% no estado no período 2015-2016 em relação ao período 2014-2015. Comparado aos anos 2011 e 2012, a redução ultrapassa os 30%. Apenas três estados brasileiros registraram queda neste período. O desmatamento da floresta nativa nos 17 estados com Mata Atlântica no país cresceu 57%.



Segundo a diretora de Conservação e Recuperação de Ecossistemas do Instituto Estadual de Florestas (IEF), Fernanda Teixeira Silva, o IEF trabalha para aumentar a cobertura florestal do estado. “Nos últimos anos, temos buscado muito mais que o aumento quantitativo de vegetação. Atuamos em áreas consideradas prioritárias para conservação e recuperação de ecossistemas, fazendo, por exemplo, a adequação das propriedades rurais e, principalmente, fomentando a recuperação de áreas degradadas junto à sociedade. Este trabalho tem feito a diferença, mas ainda há muito que se avançar”, afirma. 



Entre 1985 e 2015, ainda de acordo com dados da SOS Mata Atlântica, Minas Gerais foi o segundo estado com maior regeneração do bioma no país, com 59.850 hectares de Mata Atlântica recuperados. A cidade de Águas Vermelhas, no Vale do Jequitinhonha, é a que teve mais áreas regeneradas, com um total de 3.666 hectares, seguida por Teófilo Otoni (2.017 ha) e Novo Oriente de Minas (1.988 ha), ambas no Vale do Mucuri.



Para frear o desmatamento, ainda alto no estado, o IEF desenvolve ações em parceria com produtores, comunidades, prefeituras e empresas. Um dos principais caminhos é oferecer alternativas mais sustentáveis para quem tira a renda da terra, de modo que nem o meio ambiente fique prejudicado e nem o produtor. 



“Temos os programas de fomento florestal, que incentivam a recuperação e enriquecimento das matas com a distribuição de mudas nativas e frutíferas, insumos e assistência técnica a produtores rurais. Eles podem procurar a unidade regional do IEF mais próxima e participar do programa”, destaca Fernanda.



De 2006 a 2016, os programas de fomento do IEF apoiaram a recuperação de 84,2 mil hectares, tendo sido produzidas cerca de 17,5 milhões de mudas nativas.



Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) também realiza ações de fiscalização ambiental em todo o estado. Somente no bioma Mata Atlântica, foram 1.073 ações em 2016 e 2017. Foram aplicadas multas num total de R$31,3 milhões.



Minas é um dos estados brasileiros que possui maior parcela de vegetação nativa. Aqui, podem ser encontrados três biomas: Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica. Segundo o Mapa da Cobertura Vegetal de Minas Gerais, cerca de 34% do seu território ainda possui vegetação nativa.




leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Enquete
Você é a favor do UBER em Sete Lagoas?

Sim
1498 votos - 82.4%

Não
262 votos - 14.4%

Não sei
26 votos - 1.4%

Não tenho opinião formada
16 votos - 0.9%

Talvez
15 votos - 0.8%

facebook
twitter
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados