menu
Sete Lagoas - MG | Whatsapp: 31 996167463
Mega Cidade
Sete Lagoas - MG
ENSINO MÉDIO
EDUCAÇÃO
EDUCAÇÃO
ENSINO MÉDIO
Postada em 12/06/2017 ás 15h52 - atualizada em 12/06/2017 ás 15h52
Um novo olhar une educação e tecnologia
Professor em Sete Lagoas constrói óculos de realidade virtual
Um novo olhar une educação e tecnologia

Professor Washington, inventor dos óculos

No mundo cada vez mais virtual, como evitar excessos por parte dos estudantes e desenvolver novas formas de transmissão de conhecimento pelos professores? O professor de Geografia e vice-diretor da Escola Estadual Ruth Brandão Azeredo, Washington Eloi Francisco encontrou a resposta tão desejada. Criou óculos de realidade virtual.





“Comecei a imaginar como eu poderia usar o celular em sala de aula, sou professor de geografia, então pensei: não devo ter dificuldades. Pensei em fazer chamadas pelo celular, pensei em passar trabalhos mediante redes sociais, pensei em solicitar que os alunos fizessem pesquisas pelo celular em sala de aula, enfim... tentei ir por um caminho prático”, relata o professor.



Washington mencionou que no início, tudo parecia meio chato e por isso precisava de algo mais cativante para os jovens estudantes do Ensino Médio. Daí veio o interesse por um anúncio de óculos de realidade virtual na internet. Pesquisando um pouco mais sobre o assunto, o professor descobriu que a Google havia disponibilizado um projeto de óculos para montar com papelão e lentes, que poderiam ser compradas pela internet mesmo.



“Rapidamente comprei um modelo e testei. Pesquisei os aplicativos disponíveis... então comprei as lentes necessárias, tudo com recursos do meu bolso, já que não havia meios de comprar pela Caixa Escolar.”



Da Teoria à Prática - Depois de pesquisar vários aplicativos interessantes como o streeth view da Google, aplicativos que possibilitam ao usuário a experiência de andar na superfície da lua, fazer uma viagem pelo sistema solar,caminhar em eras jurássicas e até mesmo, participar de viagens submarinas com animações muito poderosas e com a experiência de visão em 360°, o professor e seus alunos partiram para a construção dos óculos, na perspectiva da metodologia “mão na massa”.



Com os moldes impressos, o passo seguinte foi combinar com os alunos para trazerem os papelões. Grupos foram formados e cada um recebeu uma ficha de relatório junto com lista de aplicativos, para que eles mesmos pudessem baixar em seus celulares e assim, ao utilizarem os óculos, os alunos passaram a ter suas próprias experiências.





”Eu programei uma sequência de três aulas incríveis entre a montagem dos  óculos pelos alunos e o seu uso. Gratificante ver quando eles chegam a agradecer, pois achavam que isso era uma coisa possível somente pagando em shoppings ou comprando óculos caríssimos que são vendidos em lojas de smartphones." 





Com a compra de quinze pares de lentes e a construção dos óculos virtuais, Washington reuniu condições para desenvolver a prática com seus alunos. Quando da confecção dos óculos, o professor já combinou com sua turma que após a utilização, os óculos ficariam para uso comum de todos os alunos,  já pensando em difundir essa experiência exitosa para outras turmas, oportunizando aos alunos novatos a mesma vivência.





Enfatizou que para adolescentes de periferia, a experiência foi incrivelmente positiva, pois utilizou tecnologias que estavam ao alcance das mãos deles, de maneira mais didática e no intuito de abrir as suas mentes, pois desta vez, o uso do celular em sala de aula não foi para verificar redes sociais ou para escutar músicas da moda, e sim, para uma aula guiada e muito proveitosa.





Como professor de Geografia, Washington acredita que os objetivos foram alcançados, pois os alunos entenderam como é ir a Time  Square pelo Streeth View ou ao Coliseu Romano... entenderam sobre o sistema solar em uma viagem espacial... aprenderam física pelas lentes biconvexas para juntar a imagem que é dividida em duas telas no celular... tiveram que se virar nos aplicativos em inglês e treinaram escrita em relatório, descrevendo tudo que vivenciaram, concluiu.



Da redação com SRE Sete Lagoas






leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Enquete
Você é a favor do UBER em Sete Lagoas?

Sim
1498 votos - 82.4%

Não
262 votos - 14.4%

Não sei
26 votos - 1.4%

Não tenho opinião formada
16 votos - 0.9%

Talvez
15 votos - 0.8%

facebook
twitter
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados