Quarta, 19 de Janeiro de 2022
31 99616-7463
Cidades Justiça

Emílio Vasconcelos é inocentado da suspeita de agressão à própria mulher

27/11/2021 09h06
Por: Redação Fonte: Mega Cidade
Emílio Vasconcelos foi inocentado da suspeita de agressão à própria mulher - Foto: Google
Emílio Vasconcelos foi inocentado da suspeita de agressão à própria mulher - Foto: Google

O empresário Emílio de Vasconcelos Costa, o qual no ano passado (2020) havia sido suspeito de ter agredido a mulher, Marina Andrade Schaun, foi inocentado pela Justiça.

O Site Mega Cidade entrou em contato com Emílio, mas devido aos trâmites legais, o mesmo não pode informar mais detalhes, mas confirmou a absolvição. Segundo ele, no momento oportuno falará com a Imprensa.

 

Continua depois da publicidade

Na ocasião, o caso ganhou grande repercussão, na imprensa sete-lagoana e estadual. 

 

Continua depois da publicidade

Relembre o caso (abaixo), divulgado pelo Mega Cidade com o G1:

Continua depois da publicidade

O empresário Emílio de Vasconcelos Costa (PSB), de 57 anos, foi indiciado nesta segunda-feira (6), pela Polícia Civil pelo crime de violência doméstica. Ele é suspeito de ter agredido a mulher, Marina Andrade Schaun, de 43 anos. Ele nega ter cometido as agressões (leia mais abaixo).

Segundo ela, as agressões psicológicas começaram bem antes das físicas. Eles viveram juntos por quase quatro anos.

Ela conta que, no início do relacionamento, ele era um cavalheiro, mas que depois do casamento, mais precisamente quando voltaram da lua de mel, a violência doméstica começou.

De acordo com a delegada Maria da Silva Cordeiro, responsável pelo inquérito, Costa agrediu Marina no dia 12 de junho, Dia dos Namorados. A vítima disse que teve medo de morrer.

"Ele acordou agarrando meu pescoço. Falei para parar que estava me machucando, mas ele continuava, olhava para mim com muita raiva. Fiquei bem machucada, meu rosto ardia. Eu tinha certeza que ia morrer", contou.

Emílio, que era pré-candidato à Prefeitura de Sete Lagoas, na Região Central de Minas Gerais, disse ao G1 que suspendeu temporariamente a candidatura para provar sua inocência e que já entrou na Justiça com o pedido de divórcio.

A Polícia Civil informou que adotou todas as providências cabíveis e requereu medidas protetivas de urgência, que foram deferidas pelo Judiciário.

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.