Terça, 26 de Maio de 2020
31 99616-7463
Cidades Coronavírus

Barreiras sanitárias detectam 27 casos suspeitos de Covid-19 em BH, mas podem não ser mantidas

Resultados serão avaliados ao fim da semana para definir o futuro da medida

19/05/2020 10h50
Por: Redação Fonte: Bhaz
Roberth Costa/BHAZ + Henrique Coelho/BHAZ
Roberth Costa/BHAZ + Henrique Coelho/BHAZ

Em poucas horas de funcionamento, as barreiras sanitárias anunciadas pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD) na última semana já identificaram 27 pessoas com sintomas de Covid-19, segundo a PBH (Prefeitura de Belo Horizonte). Em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira (18), o prefeito afirmou que ainda é cedo para cravar a eficiência da medida.

Também na coletiva, o secretário de saúde, Jackson Machado, defendeu que a eficácia das barreiras será observada durante esta primeira semana para determinar ações futuras. Segundo ele, é possível que a medida não seja mantida, porque “não há respostas” .

A determinação da abertura dos pontos faz parte das medidas adotadas pela administração municipal para frear o novo coronavírus. Ao todo, foram abordados 1.668 veículos nas primeiras horas de atividade das barreiras. Quase quatro mil pessoas foram verificadas e as 27 identificadas com os sintomas da doença foram encaminhadas para o serviço de saúde.

‘Não fará mal’

Durante a entrevista desta segunda, Kalil defendeu que ainda não é o momento de avaliar o desempenho das barreiras, mas garantiu elas vão “fazer mal” à cidade. “Não tenho dúvida que qualquer medida de circulação e cuidado para não deixar gente doente entrar [em BH] não fará mal para a cidade”, disse.

O prefeito reforçou ainda que foram instaladas apenas dez das 18 barreiras anunciadas para a cidade. Elas funcionarão de segunda a sexta, das 7h às 19h, fiscalizando a entrada de automóveis na cidade. O decreto prevê a medição da temperatura corporal de quem estiver dentro dos veículos abordados.

‘A gente não se baseia em achismo’

Ao lado de Kalil na coletiva, o secretário de saúde Jackson Machado explicou a decisão de instalar apenas dez barreiras a princípio: “A gente não se baseia em achismo. Usamos critérios absolutamente técnicos. A resposta das 10 primeiras barreiras vai determinar se vamos abrir mais oito ou se vamos extingui-las”.

O secretário explicou ainda que, ao final da semana, serão analisadas as estatísticas das primeiras barreiras para definir o futuro da medida e reforçou que não há “receita de bolo”. “Ainda não temos respostas, estamos aprendendo com a pandemia. Até o final da semana saberemos se trouxe benefício ou não. Se tiver, vamos continuar”, disse.

Jackson Machado ainda disse que aqueles que não aceitarem passar pela triagem não serão impedidos de entrar na cidade, mas receberão orientação para procurar unidade de saúde.

Os indivíduos que se recusarem a realizar exames ou parar nas barreiras quando solicitadas poderão ser penalizadas conforme lei de enfrentamento da emergência de saúde pública, assinada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

Endereços

As dez barreiras citadas na entrevista começaram a funcionar na manhã desta segunda, nos seguintes endereços:

  • Avenida Amazonas, próximo ao Viaduto do Anel Rodoviário
  • Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, próximo à Rua Conde Pereira Carneiro
  • Avenida Civilização, próximo à Rua dos Menezes
  • Avenida Dom Pedro I, próximo à Rua Bernardo Ferreira da Cruz
  • Avenida Cristiano Machado, próximo à Rua das Gabirobas
  • Avenida José Cândido da Silveira, no trecho entre a MG-05 e Rua José Moreira Barbosa
  • Rua Jornalista Djalma Andrade, próximo à Avenida Dr Marco Paulo Simon Jardim
  • Avenida Raja Gabaglia, próximo à Rua Parentis
  • Avenida Nossa Senhora do Carmo, no trecho Belvedere
  • Rua Haiti, no trecho entre a Avenida Presidente Eurico Dutra e Rua Patagônia

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.