Quarta, 21 de Outubro de 2020
31 99616-7463
Cidades Campo Comunitário

Paralisação de obra repercute nas redes sociais e causa desgaste em Paraopeba

Enquanto a Associação Comunitária do Bairro Sagrada Família alega que a paralisação teria ocorrido por divergências políticas, a Prefeitura afirma que a obra parou pois a empreiteira propôs a rescisão amigável do contrato e que outra licitação será feita

16/10/2020 14h50 Atualizada há 4 dias
Por: Redação
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A Associação Comunitária do Bairro Sagrada Família em Paraopeba divulgou nas redes sociais, um vídeo sobre a paralisação da obra de Reforma e Modernização do Campo Comunitário do referido bairro, que estava a cargo da Empreiteira Cielo Serviços e Construções Eirele.

No vídeo, membros da Associação alegam que a paralisação da obra já iniciada, teria ocorrido por divergências políticas. O recurso para a obra no valor de 250 mil reais é fruto de emenda do então deputado federal Adelmo Leão (PT) em 2016.

Segundo um membro da Associação do Bairro Sagrada Família, o motivo da paralisação também pode ser por falta de pagamento pela Prefeitura.  “Então Paraopeba tem que acordar! Não como ficar nesta situação! Este é um campo que tem água. Será que não tem nenhum filho de Deus que gosta do esporte? Isso é obrigação de nossos gestores. Paraopeba precisa melhorar! É um bem de todos!, adverte.

Continua depois da publicidade

A presidente da Associação, Sônia, explica que a construção de muro em torno do espaço do campo e gramá-lo é um sonho da comunidade. “Então a Associação providenciou os documentos e o então deputado Adelmo Leão viabilizou o recurso. A obra possibilita a proteção de nossas crianças na prática do esporte e lazer. O que parecia ser um sonho está virando um pesadelo. É preciso que a administração municipal dê uma resposta sobre o que pode ser feito.”, manifesta.

Contudo, segundo ela, após a empresa Cielo ganhar a licitação para a execução da Reforma e Modernização, a mesma foi iniciada no dia 27 de julho. “Cedemos o imóvel da Associação para alojar os trabalhadores que foram embora nesta quarta-feira (14). Achamos estranho porque a obra começou, estava indo tudo bem e de repente ela parou. E ninguém veio explicar porque a obra parou.”, conta.

A presidente então acompanhou uma reunião entre a Prefeitura e a Empreiteira Cielo para ver se haveria resolução para o andamento da obra. “Contudo não houve acordo entre as partes! Portanto, estamos aguardando a marcação de uma reunião para saber o que está acontecendo. Não sabemos porque a Cielo deixou a obra e temos o direito de saber o motivo, para que os moradores do bairro sejam informados.”, enfatiza.

Continua depois da publicidade

De acordo com a Associação Comunitária, o gestor da execução da obra é a Prefeitura, a fim de beneficiar a comunidade que é a principal interessada em saber o motivo da paralisação dos trabalhos de Reforma e Modernização do Campo. “Assim sendo aguardamos uma resposta da Prefeitura de Paraopeba para sabermos de fato qual é o problema que está impedindo a continuidade da importante obra. E o recurso é público e temos que ter a responsabilidade dele.”

Parecer da Prefeitura de Paraopeba

O Site Mega Cidade entrou em contato com a Prefeitura de Paraopeba e questionou o que a mesma tem a dizer sobre a situação, qual o real motivo da paralisação da obra, se ela será retomada, concluída e quando.

A Prefeitura respondeu que uma reunião foi feita com representantes da empresa, a qual contou com a presença da presidente da Associação, onde foi colocado pela Cielo que devido aos aumentos de custos precisava de um reajuste de R$ 150.000,00, o que aumentaria além do limite permitido por lei. Então, a Prefeitura colocou que legalmente só poderia fazer um reajuste de 19.000,00.

A Empresa então propôs a rescisão amigável do contrato, o que está providenciando pela Prefeitura, para possibilitar a realização de uma nova licitação e poder realizar a obra no Campo da associação.

A Prefeitura ressaltou que todo o dinheiro está depositado, para garantir que a obra seja feita por outra empresa e que nenhum valor foi pago a atual empreiteira, portanto não havendo nenhum prejuízo aos cofres públicos.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.