Sábado, 27 de Fevereiro de 2021
31 99616-7463
Polícia Tragédia

Condutor que atropelou mulher e bebê no bairro Dona Sílvia, não é habilitado; populares revoltados atearam fogo em sua residência

Perícia constatou várias marcas de tiro calibre 380 no veículo Gol

19/02/2021 09h54
Por: Redação Fonte: Mega Cidade
Adriana Aparecida Pereira de 41 anos e um bebê de 6 meses, morreram atropelados
Adriana Aparecida Pereira de 41 anos e um bebê de 6 meses, morreram atropelados

Conforme publicado pelo Site Mega Cidade, uma mulher (Adriana Aparecida Pereira de 41 anos) e um bebê de 6 meses, morreram atropelados, no início da noite desta quinta-feira (18), na Rua K, bairro Dona Sílvia em Sete Lagoas.

A irmã da mulher (A.A.C.S. de 29 anos) também foi atropelada e socorrida com ferimentos leves até o mesmo hospital. A tragédia repercutiu na imprensa de Minas Gerais.

Segundo informações, Adriana era babá do recém-nascido, filho da senhora T.C.S. de 27 anos. Devido à comoção e a tentativa de salvar as vítimas, a mãe de Adriana, familiares e vizinhos arrastaram o corpo dela que estava debaixo do carro, sendo que a mesma, em ato de desespero, debruçou-se sobre o corpo da filha.

Continua depois da publicidade

Uma testemunha (W.L.P.S. de 36 anos) disse que também presenciou os fatos e que devido à mãe da criança não se sentir bem, saiu correndo para socorrê-la, usando o próprio carro.

O jovem de 18 anos (M.W.S.G.), condutor do veículo Gol de cor prata, placa GXG-6885, não seria habilitado e a perícia constatou várias marcas de tiros calibre 380 no veículo. Foram recolhidas duas cápsulas e um projétil do mesmo calibre.

Ele estaria em alta velocidade na Rua P e ao tentar fazer a conversão para entrar na Rua K, perdeu o controle da direção e atropelou as vítimas que estavam sentadas no passeio de casa.

Continua depois da publicidade

M.W.S.G. não teria prestado socorro às vítimas e fugido, sem ser localizado. Populares revoltados atearam fogo na residência dele, sendo que quase todos os móveis foram queimados.

O veículo Gol pertence a R.P.F.L. de 27 anos, que teria entregue o carro ao jovem, mesmo sabendo que ele era inabilitado. Segundo o proprietário, tentou socorrer as vítimas, mas pessoas teriam começado a agredi-lo com pedaços de paus e pedras, sendo que ao escutar tiros, saiu correndo para um matagal.

R.P.F.L. também disse que no carro estavam ele como passageiro ao lado do condutor, e no banco de trás, E.J.S. de 22 anos e duas meninas (A. e M.). Devido às agressões sofridas, R.P.F.L. foi levado ao Hospital Municipal, onde foi atendido. Ele acabou preso por entregar à pessoa inabilitada o veículo, o qual foi removido ao pátio do Socorro Silva.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.