Segunda, 12 de Abril de 2021
31 99616-7463
Polícia Estupro

Homem se passa por adolescente, atrai menina de 12 anos e a estupra em fazenda

Vítima deu entrada no Hospital Regional de Patos de Minas

07/04/2021 14h28
Por: Redação Fonte: Mega Cidade com BHAZ
Reprodução/StreetView
Reprodução/StreetView

Um jovem de 27 anos foi preso suspeito de estuprar uma menina, de 12, na zona rural de Patos de Minas, na região do Alto Paranaíba, em Minas Gerais, na segunda-feira (5). O rapaz mentiu a idade e o nome para a vítima para atraí-la até a fazenda onde mora. Ele foi preso enquanto dormia e negou o crime aos policiais.

Os pais da garota buscaram ajuda depois que chegaram do serviço e não encontraram a filha em casa. Em conversa com uma prima da adolescente, eles foram informados que a garota havia saído com um conhecido. A menina passou o contato do irmão do rapaz com quem ela estava e ele se comprometeu a ir até a fazenda onde o familiar morava.

A adolescente foi entregue aos parentes, no entanto, o rapaz foi embora antes mesmo de prestar esclarecimentos para a Polícia Militar, conforme uma conselheira tutelar, que acompanhava o caso, havia solicitado. A adolescente, por sua vez, contou que há três semanas trocava mensagens com o jovem. O contato dele foi passado para ela por uma prima.

Continua depois da publicidade

A menina contou que o jovem se passava por um adolescente de 15 anos e usava um nome falso. Depois de dias de conversas, conforme registrado na ocorrência, a menina foi convencida a mandar fotos do corpo e das partes íntimas.

Estupro

Um encontro foi marcado entre eles e a menina disse ter aproveitado que estava sozinha em casa. Em uma das conversas o rapaz chegou a chamá-la para abandonar a família e ir morar com ele. A garota relatou que sentiu medo ao ver que o homem era mais velho e chegou a pensar em desistir do encontro, mas acabou indo até a fazenda.

A vítima contou que, quando chegaram à zona rural, a mãe do rapaz chamou a atenção dele por estar com uma menina mais nova. Apesar disso, o jovem a levou até o quarto e por lá a violentou. O homem a segurou pelo pescoço e beijou os seios dela, sempre segundo o registro da Polícia Militar. A menina chegou a gritar por socorro, mas um travesseiro foi colocado para abafar os pedidos de ajuda.

Continua depois da publicidade

Mesmo diante da recusa da adolescente, o homem tirou a roupa dela e praticou o ato sexual. Após o crime, o irmão do rapaz chegou ao imóvel e levou a menina até os pais dela.

Prisão

A PM realizou levantamentos na região com o intuito de localizar e prender o suspeito, já que a vítima não sabia passar os detalhes de onde estava. Após o trabalho, a corporação conseguiu chegar até a fazenda e foi recebida pelo pai do suspeito. O jovem dormia no momento em que foi abordado e confessou ter levado a garota até a fazenda. A mãe dele disse que chamou a atenção quando viu a menina, só que não percebeu o que aconteceu posteriormente.

Após ser indagado sobre o crime sexual, o rapaz negou e disse que não manteve relação com a menina. O jovem foi preso e levado para a Delegacia de Polícia Civil. A menina deu entrado no Hospital Regional com hematomas no pescoço e arranhões no pescoço. Na unidade saúde ela foi submetida a exames.

Crime sexual

O crime de estupro é previsto no art. 213, e consiste em “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”. Mesmo que não exista a conjunção carnal, o criminoso pode ser condenado a uma pena de reclusão de seis a 10 anos.

O art. 217A prevê o crime de estupro de vulnerável, configurado quando a vítima tem menos de 14 anos ou, “por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência”. A pena varia de 8 a 15 anos.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.