Sexta, 07 de Maio de 2021
31 99616-7463
Polícia Agressão a criança

Criança é internada com sinais de agressão e namorado da mãe é suspeito

Menina ficou hospitalizada na unidade de saúde

04/05/2021 09h12
Por: Redação Fonte: Mega Cidade com BHAZ
Menina ficou hospitalizada na unidade de saúde (Amanda Dias/BHAZ)
Menina ficou hospitalizada na unidade de saúde (Amanda Dias/BHAZ)

Uma criança de 2 anos foi internada no hospital Odilon Behrens, na região Noroeste de Belo Horizonte, com sinais de agressão nesse domingo (2). A menina contou para o pai e a avó que os hematomas tinham sido provocados pelo namorado da mãe. O caso é investigado pela Polícia Civil.

Os familiares paternos da menina contaram à Polícia Militar que não tinham qualquer contato com a criança há cerca de um mês. A mãe justificou a ausência ao dizer que a garotinha estava com sintomas de febre e gripe. Depois desse período, ela passou o dia, ontem, com o pai.

Os familiares pela parte do pai estranharam, logo quando reencontraram a criança, um hematoma na testa da menina. O avô materno alegou que ela havia caído da cama, o que teria causado o machucado. Mas outras marcas foram encontradas pelo corpo – como nas pernas e glúteos.

Continua depois da publicidade

A menina ainda reclamou dor de cabeça quando teve o cabelo penteado. A avó chegou a ouvir como resposta da menina que o responsável pelas dores seria o namorado da mãe. Tudo isso assustou o pai da menina, que procurou uma unidade policial para denunciar o caso.

Ele e a mãe da criança terminaram o relacionamento há sete meses.

Nervosismo

Os militares se deslocaram para a casa dos avós maternos da crianças e acabaram encontrando a mãe dela por lá. Ao se deparar com os policiais, a mãe aparentou bastante nervosismo, sempre conforme a própria PM, e apresentou a mesma versão: a menina tinha caído da cama e já havia sido medicada.

Continua depois da publicidade

Os policiais, então, pediram para que ela os levasse à casa do namorado. No trajeto, outra ação da mulher chamou a atenção das autoridades: mesmo orientada a não usar o celular, a mãe ligou para o namorado para contar que estava com a polícia.

O aparelho foi recolhido em seguida.

Confusão

Segundo a PM, o namorado da mãe da criança disse que compareceria à delegacia. A mãe, que afirmou ser investigadora aposentada da Polícia Civil, teria desferido um tapa em um dos policiais, além de ofendê-los com xingamentos.

Por fim, os militares alegam que a mãe da criança também os ofendeu e ainda teria simulado uma agressão. A reportagem tentou falar com a mulher, mas não obteve sucesso até esta publicação. Tão logo tenhamos sucesso, esta reportagem será atualizada.

A mãe e o namorado foram, enfim, levados à Deplan (Delegacia de Plantão) 4.

Criança hospitalizada

A menina foi levada até o hospital Odilon Behrens e ficou internada por conta da gravidade das lesões. O pai permaneceu com ela na unidade hospitalar. Procurada pela reportagem, a PCMG (Polícia Civil de Minas Gerais) informou que a menina segue internada.

“Os envolvidos estão prestando esclarecimentos na Delegacia de Plantão Especializada em Atendimento à Mulher, ao Idoso, à Pessoa com Deficiência e Vítimas de Intolerâncias”, informou a corporação, em nota enviada no fim da manhã de hoje. “A PCMG realiza, neste momento, diligências para que sejam tomadas as providências cabíveis”, diz em outro trecho (leia na íntegra abaixo).

Semelhança

O caso possui semelhanças com o de Henry Borel, que chocou todo o Brasil. O menino de 4 anos morreu na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, em 8 de março e era enteado do vereador Dr. Jairinho (Solidariedade). Na época foi dito pelos envolvidos que Henry havia caído da cama e isso teria provocado o óbito.

O laudo médico apontou 23 lesões em Henry Borel e descartou a hipótese de acidente doméstico. O vereador, que era namorado da mãe de Henry, é suspeito pelo assassinato e está preso. A professora Monique Medeiros também está na prisão.

Nota da PCMG na íntegra

“A Polícia Civil de Minas Gerais informa que os envolvidos estão prestando esclarecimentos na Delegacia de Plantão Especializada em Atendimento à Mulher, ao Idoso, à Pessoa com Deficiência e Vítimas de Intolerâncias.

A criança encontra-se internada e a PCMG realiza, neste momento, diligências para que sejam tomadas as providências cabíveis”.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.