Segunda, 13 de Julho de 2020
31 99616-7463
Cidades Tremor de terra

Moradores de Prudente de Morais e Santana do Pirapama também sentiram o tremor de terra

O fenômeno ocorreu por volta das 18h e demorou alguns segundos, revelou o Corpo de Bombeiros

26/05/2020 22h21 Atualizada há 2 meses
Por: Redação Fonte: EM
Moradores de Prudente de Morais e Santana do Pirapama também sentiram o tremor de terra

Moradores de Sete Lagoas, cidade de 239,8 mil habitantes, localizada na Região Central de Minas Gerais, sentiram a terra tremer no final da tarde desta terça-feira (26). O abalo também foi observado em mais dois municípios da região: Prudente de Morais e Santana do Pirapama.

A Quinta Companhia do Corpo de Bombeiros de Sete Lagoas informou que recebeu vários chamados, com pessoas relatando terem sentido o chão balançar. Os moradores informaram que ficaram muito assustados e alguns também disseram que ouviram um estrondo, semelhante ao de um trovão. Porém, não houve registro de danos, divulgou a corporação.

O fenômeno ocorreu por volta das 17h e demorou alguns segundos, revelou o Corpo de Bombeiros. Nas redes sociais, também houve relatos de pessoas de diversos pontos da cidade que sentiram o abalo e ouviram o estrondo.

Continua depois da publicidade

Ouvido pelo EM na noite desta terça-feira, o professor e pesquisador Lucas Vieira Barros, do Observatório Sismológico (Obsis) da Universidade de Brasília (UnB), disse que recebeu a informação da ocorrência do tremor de terra em Sete Lagoas, Prudente de Morais e Santana do Pirapama a partir dos relatos de moradores.

No entanto, Vieira Barros alegou que o abalo ainda não tinha sido registrado oficialmente pelo Observatório Sismológico da UnB, tendo em vista que esse registro depende de análise de dados dos aparelhos e, por causa do isolamento social contra a transmissão do coronavírus, não havia nenhum técnico na unidade no momento do fenômeno.

As informações registradas pelos equipamentos ainda serão avaliadas para verificar a ocorrência do sismo e qual foi sua intensidade, mas devemos lembrar que já aconteceram outros tremores de terra na região de Sete Lagoas”, destacou o especialista da Universidade de Brasília.

Continua depois da publicidade
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.