Quinta, 09 de Julho de 2020
31 99616-7463
Saúde Pandemia

Internação em UTI cresce dez vezes mais do que oferta de novos leitos em Minas

De 3 para 24 de junho, volume de pacientes em unidades de terapia intensiva cresceu 82%, abertura de vagas aumentou 8,3%

26/06/2020 08h41
Por: Redação Fonte: O Tempo
Internação em UTI cresce dez vezes mais do que oferta de novos leitos em Minas

Nas últimas três semanas, o número de pacientes internados nas UTIs em Minas Gerais, com Covid ou suspeita, cresceu dez vezes mais do que a oferta de novos leitos. No dia 3 de junho, o Estado contava com 2.710 vagas de terapia intensiva pelo SUS, e tinha 262 pessoas internadas com coronavírus. No dia 24, o número de leitos estava 8,3% maior (2.936), mas o total de internados (478) já tinha subido 82%.

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-MG) ressalta que esses leitos não atendem exclusivamente a pacientes com Covid, mas a todas as doenças ou acidentes e, por isso, o isolamento é tão importante.  O governo explica ainda que não há como aumentar os leitos na mesma proporção em que o volume de pacientes cresce, pois existem protocolos de habilitação e formação de equipes médicas.

Em Belo Horizonte, nesse mesmo período a quantidade de internações com Covid ou suspeita cresceu 79%, mais do que o dobro do ritmo de abertura de novas vagas em UTI, que foi de 35%. Do dia 3 para o dia 24 de junho, o volume de pacientes subiu de 138 para 247. E as vagas de UTI passaram de 220 para 297.

Continua depois da publicidade

De acordo com a presidente do Conselho Municipal de Saúde de Belo Horizonte, Carla Anunciatta, esse desequilíbrio é preocupante, principalmente considerando que a média de permanência de um paciente grave é maior.  Segundo o diretor da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (ABMI), Rogério Silveira, a média de internação nesses casos é de dez dias.

“Com a insuficiência de leitos, o aumento da contaminação e o aumento da circulação do vírus na cidade, podemos chegar ao colapso do sistema. Se o número de pacientes cresce mais do que o de leitos, as pessoas vão morrer. Por isso, o isolamento é tão importante, pois ele é quem vai reduzir essa velocidade”, afirma Carla.

Com o avanço dos casos na capital, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) está ampliando a contratação de leitos nos hospitais parceiros na rede SUS, e a meta é chegar a 341 vagas de UTI até julho. As vagas abertas têm sido preenchidas imediatamente. Na quarta-feira, a Santa Casa abriu dez novos leitos de UTI, a pedido da prefeitura. Ontem, já estava com ocupação de 100%. Só nas duas últimas semanas, o hospital aumentou de 40 para 60 as UTIs.

Continua depois da publicidade

O Fundação Hospitalar São Francisco de Assis também já está com 100% das unidades de terapia intensiva ocupadas. Segundo o superintendente-geral Hélder Yankous, a unidade já se prepara para ampliar a oferta de vagas. “Esse crescimento acelerou nas duas últimas semanas e tem relação com o relaxamento das pessoas em relação às medidas de prevenção. Estamos com nossas 20 vagas de CTI ocupadas e devemos abrir mais 5 ainda nesta semana”, anuncia Yankous.

No Madre Teresa, das dez vagas, quatro estão ocupadas, além das 28 na enfermaria. “Nós observamos um crescimento das internações nos últimos dez dias, quando passamos de 16 para 32 pacientes.  Já entramos na fase 2 do nosso plano de contingência e podemos aumentar dez leitos de UTI e mais alguns de enfermaria”, destaca o diretor técnico do hospital, Luiz Cláudio Moreira Lima.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.