Quarta, 24 de Fevereiro de 2021
31 99616-7463
Saúde Coronavírus

Com 193 óbitos em 24 horas, Minas já soma 17.442 mortes pela Covid-19

19/02/2021 17h29
Por: Redação Fonte: Mega Cidade com Hoje em Dia
Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa

Mais 193 mineiros perderam a vida para a Covid-19 nas últimas 24 horas, conforme boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) nesta sexta-feira (19). Agora, Minas Gerais já soma, desde o início da pandemia, 17.442 mortes pela doença. Deste total, 56% eram homens, 44% mulheres e 73% apresentavam comorbidades.

De acordo com o levantamento, 827.437 pessoas se infectaram pelo novo coronavírus no Estado. Em um dia, foram 4.989 novas confirmações. Todos os 853 municípios mineiros já registraram casos da doença.

Os recuperados da enfermidade somam 757.079 pessoas. O boletim aponta ainda que 52.916 pacientes estão em observação, internados ou em isolamento social.

Continua depois da publicidade

Imunizados

Desde que o primeiro lote com vacinas contra a Covid-19 desembarcou em Minas, no último dia 18 de janeiro, 439.255 pessoas foram imunizadas. Deste grupo, 161.707 tomaram a segunda dose.

Segundo o vacinômetro, painel do executivo estadual que monitora a campanha em Minas, receberam a imunização 408.394 profissionais da linha de frente no combate à Covid, 21.896 idosos que estão em asilos, 2.602 deficientes em residências inclusivas e 6.363 índios que vivem em aldeias.

Continua depois da publicidade

Com relação à segunda dose, 145.782 foram aplicadas em trabalhadores da saúde, 12.243 em idosos, 721 em deficientes e 2.961em indígenas. De acordo com a SES, para toda Minas Gerais o Ministério da Saúde disponibilizou 1.171.180 imunizantes, sendo 1.045.267 já distribuídas aos municípios.

Na última quarta-feira (17), o governador Romeu Zema (Novo) informou que o Estado receberá mais de 10 milhões de doses até o mês de abril. O envio da próxima remessa, por meio do governo federal, deve acontecer ainda em fevereiro.  

Cobertura

Dos grupos prioritários da fase inicial da campanha de vacinação, apenas um recebeu a primeira dose do imunizante em sua totalidade. A cobertura mais alta foi registrada em pessoas com deficiência que estão institucionalizadas, com 100%, seguido da população indígena, com 84,93% e dos profissionais de saúde, com 60,18%. Já em idosos acima de 60 anos, que vivem em instituições de longa permanência, a cobertura é de 56,34% de imunização.

No total, até esta sexta, a primeira dose da vacina foi aplicada em 60,49% do público-alvo definido pelo Programa Nacional de Imunização. Já para a segunda dose, o índice atingiu 20,32%. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.