Segunda, 17 de Maio de 2021
31 99616-7463
Saúde Gripe

Imunização contra gripe pode reduzir pressão sobre o SUS; entenda

30/04/2021 10h53
Por: Redação Fonte: Mega Cidade com BHAZ
Campanha de vacinação contra a gripe começou neste mês em todo o país (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
Campanha de vacinação contra a gripe começou neste mês em todo o país (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

A Campanha Nacional de Vacinação contra o Vírus Influenza começou no país neste mês e a meta do Programa de Imunização da SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais) é imunizar 90% da população prioritária – cerca de 8,4 milhões de pessoas em todo o estado. Com a pandemia, no entanto, algumas dúvidas têm surgido sobre a importância dessa imunização e sobre como ela se relaciona com as vacinas contra a Covid-19.

As informações são da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Em entrevista concedida ao programa de rádio Saúde com ciência, o médico e professor da Faculdade de Medicina, Ênio Pietra Pedroso, do Departamento de Clínica Médica, explica sobre a necessidade de vacinação contra a Influenza, as similaridades e diferenças entre os dois vírus e esclarece se a vacina da gripe pode levar a uma menor ocorrência da Covid-19.

Imunização e sobrecarga

A estratégia para vacinação contra a influenza foi integrada ao PNI (Programa Nacional de Imunizações) em 1999, com o objetivo de reduzir internações por complicações decorrentes da gripe e óbitos. O professor esclarece que a vacina contra o vírus influenza constitui um modelo semelhante ao de imunizantes para outros agentes. Isso porque ele é formulado com vírus inativado, estratégia também usada no desenvolvimento da Coronavac. “Portanto, não há vírus vivo”, acrescenta Ênio.

Continua depois da publicidade

No entanto, imunizar-se contra o vírus da gripe não significa estar imune também ao coronavírus. A proteção contra o vírus influenza reduz apenas o seu papel como desencadeador de doença respiratória aguda. Isso ajudaria a reduzir internações por causa da gripe, evitando sobrecarrega ainda maior ao sistema de saúde.

Gripe x Covid-19

A gripe é uma infecção viral do aparelho respiratório provocada pelo vírus influenza, que ataca os pulmões, o nariz e a garganta. A exemplo da infecção causada pelo novo coronavírus, os sintomas incluem febre, calafrios, tosse, dores de cabeça e fadiga. Por isso, as doenças podem ser facilmente confundidas.

O que se sabe até o momento é que a prevenção contra o influenza durante esse período de alto contágio pela Covid-19 ajuda a diferenciar o diagnóstico das duas doenças. Descartando a gripe nas pessoas imunizadas contra a influenza, fica mais fácil diagnosticar as duas doenças, diminuindo assim a pressão sobre as unidades de saúde.

Continua depois da publicidade

Estudo aponta prevenção

Uma dúvida que tem sido levantada, especialmente após publicação de estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, é sobre a possibilidade do imunizante contra a gripe ter também algum efeito preventivo contra a Covid-19, uma vez que os sintomas das duas doenças são semelhantes.

O estudo observou menos casos de Covid-19 em pacientes imunizados contra a gripe. Em relação a esse resultado, os autores da pesquisa levantaram a hipótese de que os pacientes vacinados contra a influenza tenham cultivado melhores hábitos de prevenção contra a Covid-19 e, por isso, se infectado menos. 

Outra explicação possível é que a vacina contra a gripe evita a sobrecarga do sistema respiratório, fortalecendo a primeira linha de defesa do sistema imune.

No entanto, o professor Ênio Pedroso esclarece que ainda é cedo para considerar os resultados obtidos, uma vez que o estudo, de natureza retrospectivo-observacional, não possibilita confirmar essa associação. Ele também considera que todos os dados científicos relacionados à doença exigem mais tempo para serem consolidados.

Para que os resultados da pesquisa realizada em Michigan sejam referenciais e considerados para outras populações ao redor do mundo, é necessário ampliar os estudos para outros países. “Os estudos precisam ser confirmados, criticados e realizados em outras situações étnico-ambientais”, defende Ênio.

Para se prevenir

A 23ª Campanha Nacional de Vacinação contra o Vírus Influenza se estende até 9 de julho. Neste ano, o programa foi dividido em três fases, que contemplam grupos definidos pelo Ministério da Saúde para evitar aglomerações nas unidades de saúde. Confira mais informações sobre a imunização em Belo HorizonteBetim e Contagem.

Com Maria Beatriz Aquino, da UFMG

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.