Quinta, 17 de Junho de 2021
31 99616-7463
Política Vacina contra Covid

'Irresponsabilidade do Ministério da Saúde', diz Kalil sobre segunda dose

dosos de BH aguardam segunda dose da vacina contra COVID-19, que deveria ser aplicada na última segunda-feira

06/05/2021 17h10
Por: Redação Fonte: Mega Cidade com Estado de Minas
Alexandre Kalil durante entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira, em Belo Horizonte (foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)
Alexandre Kalil durante entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira, em Belo Horizonte (foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)

atraso na aplicação da segunda dose da vacina contra a COVID-19 nas pessoas entre 67 e 64 anos em Belo Horizonte é de responsabilidade do Ministério da Saúde, segundo o prefeito Alexandre Kalil (PSD). O chefe do Executivo municipal afirmou que a cidade seguiu uma orientação irresponsável do governo federal, que garantiu a disponibilidade do imunizante.

“Claro que foi, claro que foi irresponsabilidade do Ministério da Saúde, que mandou um documento que nós acatamos, documento oficial do governo federal, que teríamos as doses aqui", afirmou Kalil, durante entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (06/05), na Prefeitura de BH.

 

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

A segunda dose da vacina contra o coronavírus para esse grupo, que comporta cerca de 27 mil idosos, deveria ter sido aplicada desde a última segunda-feira (03/05). Kalil disse que, nos primeiros momentos, a prefeitura não seguiu a recomendação de não se guardar a segunda dose, o que garantiu a imunização mais rápida de pessoas mais velhas.

"É uma explicação muito simples, não precisa de nenhum médico dar explicação, porque ela é matemática. Nós recebemos um ofício do Ministério da Saúde, um ofício, um documento oficial do Ministério da Saúde, que todo mundo está acompanhando que vem em lotes. Um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito. E agora já deve ter chegado no 9º, 10º, 11º, vem a conta gotas mas vem. Recebemos o primeiro ofício que era para aplicar tudo, recebemos uma ordem: ‘Olha, pode aplicar tudo’. Não obedecemos, guardamos uma parte”, afirmou o prefeito.

 

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Em seguida, Kalil disse que a Prefeitura de BH seguiu o documento oficial, de se vacinar sem preservar a segunda dose, o que segundo ele desencadeou essa falta. Contudo, segundo o prefeito, o ritmo não sofreu atraso e a ordem deve ser retomada a partir da próxima segunda-feira (10/5).

 

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

“Recebemos um documento oficial, que o lote sete, sétimo e oitavo lotes, eram para aplicar todas as doses. Então, nós entendemos, que era um documento responsável e fizemos isso. E acredito que no início da semana que vem nós devemos estar voltando a aplicar a segunda dose, que não há problema de atraso de uma semana, de sete dias. O ideal era que o documento fosse responsável, e nós não recebemos um documento oficial responsável. É isso que ninguém fala, é isso que querem jogar nas costas, como se já tem pouca coisa para fazer, do secretário de Saúde e da Prefeitura de Belo Horizonte”, concluiu.

 

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Atraso ‘sem prejuízo’, diz secretário

Secretário de Saúde da capital mineira, Jackson Machado pediu calma ao grupo que está com a segunda dose da vacina, a CoronaVac, atrasada. Segundo o médico, não há prejuízo na efetividade do imunizante com uma demora de até 21 dias.

“O atraso de até 21 dias, segundo o Ministério da Saúde, não traz prejuízo ao desenvolvimento da imunidade que a vacina causa. Então, não há prejuízo em se aguardar mais uns dias. Então, não há necessidade de as pessoas ficarem angustiadas, telefonando, procurando centro de saúde”, disse Jackson.

 

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Jackson também diz que não há necessidade de as pessoas se aglomerarem por conta da vacinação. Nessa quarta-feira (05/05), começou a vacinação para profissionais de saúde a partir dos 18 anos, o que encheu posto de saúde e demais centros de vacinação.

 

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

“Quando a Prefeitura de Belo Horizonte, através da Secretaria Municipal de Saúde, inclui um grupo etário para vacinar é porque temos todas as doses para completar aquele grupo. Ontem (quarta-feira), nós vimos aí uma superlotação nos nossos postos de vacinação, a ansiedade das pessoas as leva a procurar centro de saúde no primeiro dia, o posto de vacinação no primeiro dia, mas as vacinas começam a ser aplicadas naquele grupo aquele dia. Não há necessidade de as pessoas se aglomerarem, chegarem 6h da manhã, fazerem fila de três horas para vacinar.” 

 

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.