Quarta, 30 de Setembro de 2020
31 99616-7463
Política Coronavírus

Vereadores de Sete Lagoas vão formatar documento único para cobrar do Executivo ações contra a pandemia

17/06/2020 09h40 Atualizada há 3 meses
Por: Redação Fonte: Ascom da Câmara Municipal de Sete Lagoas
Shutterstock/Reprodução
Shutterstock/Reprodução

A pandemia do novo coronavírus que tem contaminado uma média de cinco pessoas por dia em Sete Lagoas, desde o último fim de semana, foi um dos assuntos mais abordados pelos vereadores durante a Reunião Ordinária dessa terça-feira (16). Acatando sugestão do presidente Cláudio Caramelo (PP), o Legislativo vai formatar um documento único com todas as demandas apresentadas pelos parlamentares para cobrarem ações do gestor da saúde contra o avanço de casos confirmados.

Ainda durante a sessão, o líder do Executivo na Câmara, Fabrício Nascimento (REP), informou que a agenda com o secretário da pasta, Flávio Pimenta, ficou acertada para a próxima sexta-feira (19), na sede do Legislativo. Caramelo apresentou a informação de que há no caixa do fundo municipal criado para as ações de combate à pandemia aproximadamente R$ 1 milhão. “Estou com o balanço em mãos”, avisou.

O Legislativo é um dos responsáveis pelo fluxo de caixa na conta do Executivo porque aprovou, no início da pandemia, um projeto para antecipar R$ 1,6 milhão, em quatro parcelas. “Vamos levar todas as demandas para o secretário porque muita coisa precisa ser feita e há recursos”, completou o presidente. O novo depósito que será feito pelo Legislativo está previsto para acontecer no próximo dia 20.

Continua depois da publicidade

Durante a comunicação pessoal vários parlamentares se manifestaram sobre o assunto. Gilson Liboreiro (SD), mais uma vez, comentou sobre a possibilidade das barreiras sanitárias que foram adotadas por várias cidades do Brasil com resultados eficazes. Rodrigo Braga (PV) cobrou a aplicação de mais testes, principalmente, nas pessoas que estão sendo monitoradas pelo município. “Como há recurso não vejo motivo para não fazerem mais testes”, ponderou.

Dr. Euro (PP) representa o Legislativo no comitê de gestão da crise da cidade e explicou que a tendência do órgão “é liberar a população para trabalhar dentro de todas as normas de segurança”. Porém, ele afirma que “ninguém é dono da verdade e que se aumentar os casos vamos rever e retroagir”, admite. Sobre o aumento no número de infectados nos últimos dias o parlamentar afirma que “quando tem um avanço grande repercute, temos que avaliar e ver a necessidade de uma intervenção”.

Já Pr. Alcides (PP) pediu mais clareza na divulgação dos dados referentes à doença durante o boletim epidemiológico diário. Com o retrocesso da cidade para a onda branca do programa estadual Minas Consciente que gerou o fechamento de vários segmentos comerciais, Milton Martins (REP) pediu atenção e cuidado para os postos de trabalho que estão sendo fechados com a retração econômica.

Continua depois da publicidade

Outro ponto importante da Reunião é que foi aprovado, por unanimidade, o Projeto de Resolução (PRE) 6/2020 que “cria o programa Viva a Arte em Casa”. O texto era muito aguardado pela classe artística. Uma das diretrizes do PRE é promover ações culturais durante o período de pandemia. Serão contemplados diversos segmentos artísticos como artes cênicas, música, contação de histórias, dança, performance ou congêneres desenvolvidos em plataforma digital e voltados ao público infantil, juvenil e adulto.

Com um protótipo de um edital já elaborado os vereadores vão, a partir de agora, melhorar alguns pontos e propor ações para que o documento seja divulgado pela Câmara Municipal, o mais breve possível. Será feito um chamamento público onde artistas devidamente regularizados de várias áreas de atuação poderão aderir ao projeto e receber pelas apresentações que serão veiculadas pelas redes sociais do Legislativo e canal aberto TV Câmara, 46.2.

Segue link com pauta da sessão. 

https://sapl.setelagoas.mg.leg.br/sessao/pauta-sessao/512/

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.