Sexta, 14 de Agosto de 2020
31 99616-7463
Política Reunião Ordinária

Legislativo aprova mais um passo para revitalização de rotatória na saída de Sete Lagoas

09/07/2020 13h56 Atualizada há 1 mês
Por: Redação Fonte: Ascom da Câmara Municipal de Sete Lagoas
Legislativo aprova mais um passo para revitalização de rotatória na saída de Sete Lagoas

A Câmara, mais uma vez, fez sua parte no processo que vai culminar com a revitalização da rotatória que liga a Rua Santa Juliana com a saída da cidade para Jequitibá. Os vereadores, na Reunião Ordinária desta semana, aprovaram o Projeto de Lei Ordinária (PLO) 70/2020 que “autoriza o município de Sete Lagoas a indenizar Daise Aparecida Oliveira Antão e VR Graças Participações Societárias LTDA.  

A vereadora Marli de Luquinha (MDB), durante a comunicação pessoal, chamou a proposta de muito importante para a cidade. A parlamentar destacou que as dúvidas que tinha sobre o texto foram sanadas. “Todos os laudos de avaliação já foram emitidos e as dúvidas esclarecidas”, reforçou Marli que protocolou Requerimento cobrando esclarecimentos sobre o PLO.

Ainda sobre a manifestação dos vereadores, o assunto do momento, a pandemia do novo coronavírus, foi mantido em pauta. Milton Martins (REP) parabenizou a Guarda Civil Municipal (GCM) “pelo serviço de fiscalização que vem sendo executado”. O vereador condenou aglomerações em bares, “virou zona livre. Não há como a gente fazer uma reabertura segura do comércio sem haver um controle maior nos finais de semana”, opinou.

Continua depois da publicidade

Fiscalização em unidades de saúde da cidade foi o destaque de Rodrigo Braga (PV) que esteve no Centro Estadual de Atenção Especializada (CEAE), antigo CVV, no bairro Progresso, entre outras unidades. Braga ficou satisfeito com o que viu e com o atendimento quem vem sendo prestado à população nas unidades.

Inocentado em processo apurado na Comissão de Ética, o vereador Ismael Soares (PSD) parabenizou a condução dos trabalhos pela imparcialidade e lisura durante todo período de apuração. “Foi um trabalho muito transparente. A contratação de um corpo jurídico externo deu lisura ao processo. Fui absolvido, sou inocente e o processo foi arquivado. A resposta para a população foi dada”, desabafou Ismael.

Presidente da Comissão de Ética, Pr. Alcides (PP) falou um pouco sobre o trabalho que envolveu Ismael. “Não tem como condenar, e esse não é o objetivo, sem provas. Trabalho feito com muita responsabilidade e ética”. Alcides destacou ainda que a principal denunciante no processo, mesmo convocada em três oportunidades diferentes, não compareceu e nem justificou ausência. Sobre a pandemia o vereador cobrou “um melhor esclarecimento em relação ao monitoramento que é feito”.

Continua depois da publicidade

Ainda sobre as comissões permanentes, Gilson Liboreiro (SD), que preside a de Saúde, informou que na próxima terça-feira (14), o secretário de Saúde, Flávio Pimenta, vai esclarecer sobre ações contra pandemia. “Convocamos o secretário de saúde para tirar dúvidas em alguns gargalos que ainda estão acontecendo”, adiantou.

Representante da Câmara Municipal no Gabinete de Gestão de Crise na cidade, Dr. Euro (PP) lamentou a inércia do órgão desde que o município foi, por determinação judicial, orientado a seguir o programa Minas Consciente do governo do Estado. “O gabinete de crise praticamente não existe mais. Não tem mais reunião, não temos nenhuma liberdade de ação. Fomos ceifados”, protestou.

Fabrício Nascimento (REP) aproveitou o espaço para falar de visita do deputado estadual Mauro Tramonte a cidade na última semana. Do mesmo partido do vereador, Tramonte foi a vários pontos da cidade, inclusive ao Hospital Municipal para conhecer a estrutura do espaço para tratamento dos infectados pela covid-19.   

E o presidente Cláudio Caramelo (PP) encerrou os pronunciamentos informando que foi publicado o edital do Viva a Arte em Casa com inscrições até o próximo dia 17. Sobre a pandemia ele lamentou que a situação da cidade siga piorando. “A população precisa entender e se conscientizar”, pediu.

O vereador também quer mais transparência na divulgação das informações sobre a pandemia. “A falta de informação e de resposta causa muito impasse. O promotor continua enfático que se não tiver a estrutura pronta (68 leitos de UTI) não vai permitir a reabertura do comércio”.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.