Quinta, 06 de Outubro de 2022
21°

Pancada de chuva

Sete Lagoas - MG

Saúde Imunização

Vacinação de adolescentes e adultos: a importância da imunização em todas as idades

O PNI é reconhecido internacionalmente, por entidades como a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), que é vinculada à Organização Mundial de Saúde (OMS), como referência na proteção e combate a doenças

21/09/2022 às 16h50 Atualizada em 21/09/2022 às 16h57
Por: Redação Fonte: Mega Cidade com MK Comunicação
Compartilhe:
Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa

O Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Brasil completou 49 anos recentemente, tendo ao longo desta trajetória colaborado para a erradicação de diversas doenças no país, como a varíola humana ou a poliomielite.

 

Continua depois da publicidade

O PNI é reconhecido internacionalmente, por entidades como a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), que é vinculada à Organização Mundial de Saúde (OMS), como referência na proteção e combate a doenças.

 

Continua depois da publicidade

No total, o Programa disponibiliza hoje cerca de 50 imunobiológicos e 20 vacinas, protegendo a população de todas as idades de diferentes doenças.

 

Continua depois da publicidade

A importância das vacinas

 

Continua depois da publicidade

As vacinas são a maneira mais eficaz de garantir não apenas que doenças erradicadas não voltem, mas também que aquelas que ainda persistem, que sejam menos graves e tenham reduzidos riscos de morte ou sequelas, explica o médico endocrinologista Dr. Daniel Lerario, mestre e doutor pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp).

 

Continua depois da publicidade

“Até chegar aos postos de saúde, sejam públicos ou privados, as vacinas passam por um rigoroso processo de estudos e pesquisas, passando por diversos testes até ser validada e só então produzida e disponibilizada para a população.”

 

Continua depois da publicidade

Ainda assim, há grupos em todo o mundo aderindo a um movimento conhecido como antivacina. Estas pessoas questionam a segurança das vacinas, temem seus efeitos colaterais ou até mesmo acreditam que não estão suscetíveis às doenças. Este comportamento tem causado a volta de doenças há muitos anos erradicadas, como é o caso do sarampo ou da poliomielite.

 

Continua depois da publicidade

“Com os índices de vacinação em queda em diversos países e o fluxo de entrada e saída de pessoas destas localidades, tanto pelo turismo quanto pelos negócios, pouco a pouco o reaparecimento destas doenças vem sendo noticiado ao redor do mundo. Não é impossível que doenças já erradicadas no Brasil voltem a aparecer por aqui também”, alerta o Dr. Daniel.

 

Continua depois da publicidade

No caso do sarampo, infelizmente isso já aconteceu. De 2020 até hoje, mais de 10 mil casos da doença já foram diagnosticados no país.

 

Continua depois da publicidade

 

Jovens e Adultos

 

Continua depois da publicidade

O calendário de vacinação não é voltado apenas para as crianças ou idosos. As diferentes imunizações disponíveis hoje no Brasil abrangem todas as faixas etárias, inclusive adolescentes e adultos de todas as idades, destaca o Dr. Daniel.

 

Continua depois da publicidade

“Se esta parcela da população deixa de se vacinar, é possível que, no futuro, haja um deslocamento de faixa etária, levando doenças que antes ocorriam somente na infância, a ocorrerem também na fase adulta. Este fenômeno já pode ser observado, por exemplo, com a caxumba. Por isso, hoje a população até 29 anos tem sido orientada a tomar duas doses da vacina.”

 

Continua depois da publicidade

Outra vacina voltada a uma população de faixa etária menos frequente é a do HPV (papilomavírus humano), indicada para meninas a partir de 9 anos e meninos a partir de 12 anos.

 

Continua depois da publicidade

“É importante lembrar que a imunização dos adolescentes e adultos é também importante para a proteção do restante da população. Assim, além de manter o calendário vacinal das crianças e idosos em dia, é importante que todos aqueles que convivam com eles estejam também com a sua imunização completa.”

 

Continua depois da publicidade

Vale destacar que, assim como toda a população, gestantes, lactantes e imunossuprimidos devem ter atenção redobrada com seus médicos sobre a necessidade e a indicação para receber qualquer tipo de vacina.

 

Continua depois da publicidade

As vacinas para adolescentes e adultos*

 

Continua depois da publicidade

• Febre amarela – 1 dose (recomendada para não vacinados ou para quem recebeu a vacina antes dos 5 anos de idade)

• Hepatite A – 2 doses

• Hepatite B – 3 doses

• Herpes Zoster – 2 doses (a partir de 50 anos) – recomendada mesmo para quem já desenvolveu a doença

• HPV quadrivalente – 3 doses (até 49 anos) – recomendada mesmo para quem já desenvolveu a doença

• Influenza – dose anual

• Meningocócica B (especialmente para viagens para a Europa) – 2 doses até 60 anos

• Meningocócica ACWY – 2 doses (adolescentes) ou 1 dose (até 64 anos)

• Pneumocócica – 3 doses (a partir de 50 anos)

• Tríplice bacteriana acelular adulto – uma dose aos 14 anos e reforços a cada 10 anos

• Tríplice viral – 2 doses, em caso de esquema incompleto (duas doses até 29 anos ou uma dose entre 30 e 59 anos)

• Varicela – 2 doses (até 49 anos)

 

Continua depois da publicidade

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Sete Lagoas - MG Atualizado às 23h28 - Fonte: ClimaTempo
21°
Pancada de chuva

Mín. 18° Máx. 30°

Sex 28°C 18°C
Sáb 29°C 19°C
Dom 28°C 19°C
Seg 30°C 18°C
Ter 32°C 17°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Anúncio