Segunda, 01 de Junho de 2020
31 99616-7463
Especiais Solidariedade

Fotógrafos de Minas cedem trabalhos para ajudar afetados pela Covid-19: ‘União’

22/05/2020 10h32
Por: Redação Fonte: Bhaz
Projeto fica disponível até 12 de junho (Reprodução/Instagram/@fotografiasporminas/@hannagabriela_fotografia/@rupestree)
Projeto fica disponível até 12 de junho (Reprodução/Instagram/@fotografiasporminas/@hannagabriela_fotografia/@rupestree)

Mobilizados pela pandemia do novo coronavírus, um grupo de fotógrafos mineiros se uniu para criar uma iniciativa em prol dos impactados pelo vírus: mais de 300 participantes vão vender fotos autorais. A renda será revertida para entidades e grupos sociais afetados pela doença. O projeto, batizado de Fotografias por Minas, foi inspirado em iniciativas semelhantes de outras cidades e teve início nesta quinta-feira (21).

A iniciativa será lançada às 20h desta quinta e prosseguirá até o dia 12 de junho. O projeto já conta com a adesão de mais de 300 participantes, profissionais de renome, como: Eustáquio Neves, Márcia Charnizon, Pedro David, João Castilho, Gustavo Lacerda, Kika Antunes, Isis Medeiros, Daniela Paoliello, entre outros.

Cada participante do Fotografias por Minas disponibilizará, para doação pelo valor de R$ 150, uma imagem de sua autoria. O tema das imagens é inspirado na ideia “para imaginar um mundo novo”, em referência ao livro “Ideias para adiar o fim do mundo”, de Ailton Krenak.

Julia Pontés, colaboradora do projeto, conta que a iniciativa é importante tanto para ajudar quem precisa como para traçar um novo olhar sobre a fotografia em Minas. Para ela, trata-se da “união da classe para um bem comum maior, que é ajudar comunidades em situação de vulnerabilidade social”.

Como ajudar?

As cópias/prints fine art das fotografias serão ilimitadas, pelo tempo que durar a iniciativa. As doações poderão ser feitas no site (acesse aqui). O pagamento pode ser feito por meio de boleto bancário, cartão de crédito ou Mercado Pago.

As fotografias serão impressas, a partir de outubro, e enviadas pelos Correios. O valor arrecadado, depois de serem descontados custos de impressão e logística, será destinado à compra de alimentos, medicamentos, materiais de proteção e higiene e outros itens de necessidade de projetos sociais mineiros que precisam de auxílio imediato por causa da pandemia.

As imagens serão impressas em papel Hahnemuhle Photo Rag 188gr, em Pigmento Lucia EX Pro, no formato 20x30cm, realizadas pela Artmosphere

Entidades beneficiadas

O objetivo do projeto Fotografias por Minas é acolher, nesta primeira etapa do projeto, pelo menos uma entidade de cada um dos públicos que está sem apoio e em especial situação de vulnerabilidade neste momento: idosos, comunidades tradicionais-quilombolas e Geraiseiros, pessoas com deficiência e proteção ao meio ambiente e aos animais.

A primeira meta é arrecadar R$ 60.000 e dividir o valor entre as cinco primeiras entidades selecionadas: Comunidade Geraiseira do Vale das Cancelas (região de Grão Mogol), Comunidade Quilombola Ausente Feliz (Serro), Creche Bom Pastor (Ibirité), Lar de Idosos Sagrada Família (Bonfim) e Proteção Animal Amigo Sem Dono (Ribeirão das Neves).

Conheça um pouco das entidades selecionadas abaixo:

Comunidades tradicionais Geraizeiras: 73 comunidades compõem os três Núcleos do Território Tradicional Geraizeiro de Vale das Cancelas: Núcleo de Josenópolis, Núcleo de Lamarão e Núcleo do Tinguí. As comunidades se auto definem pelo modo de vida tradicional e pela ocupação para uso comum das áreas mais altas, conhecidas como Gerais, normalmente composta da vegetação do cerrado. As comunidades fazem uso de estratégias produtivas diversificadas, como a solta do gado e a coleta de frutos diversos e de plantas medicinais, para garantir o sustento e a reprodução social.

Comunidade Quilombola do Ausente: localizada no município do Serro, no Vale de Jequitinhonha, A agricultura é a principal fonte de renda familiar. O envolvimento no projeto Flor e Ser: Permaculturando corações e mentes, tornou possível escoamento das produções, por meio das entregas dos produtos para comunidades de Milho Verde, São Gonçalo e Diamantina. Com a pandemia, a circulação ficou precária e o isolamento foi necessário para preservar a saúde das 200 pessoas, que estão necessitando de apoio.

LarNaLuz – Creche Bom Pastor: Instituição filantrópica de utilidade pública, sem fins lucrativos, destinada ao amparo a 50 pessoas carentes, entre 21 e 67 anos, com alguma deficiência física e/ou mental em grau profundo. A entidade realiza diariamente atividades com profissionais de educação física, fisioterapia e terapia ocupacional. Promove também acompanhamento com dentista, massoterapeuta, psicóloga, assistência social, neurologista e equipe de enfermagem. Os internos recebem refeições diárias e balanceadas, acompanhadas por nutricionista. São realizados ainda círculos de música, três vezes por semana.

Lar dos Idosos Sagrada Família: instituição filantrópica, sem fins lucrativos, localizada no município de Bonfim, que acolhe pessoas acima de 60 anos, dando assistência, acompanhamento médico e social. A entidade atende atualmente 37 idosos, sendo 23 mulheres e 14 homens. Tem capacidade de acolher 40 pessoas e conta com 15 funcionários. É mantida com o benefício dos próprios instituídos, da Sociedade de São Vicente de Paulo e doações da comunidade.

Associação de Proteção Animal Amigo Sem Dono: há três anos, atua pela causa animal em Ribeirão das Neves. Os recursos da entidade são provenientes de pequenas doações de pessoas física, de rifas e eventos, inviabilizados por causa da pandemia. A Associação resgata animais em situação de perigo, trata e prepara para adoção; ajuda tutores carentes com doações de alimento e medicamentos; realiza campanha educativas, sobre as principais doenças dos pets e adoção responsável; denuncia maus tratos contra animais e assegura alimento aos animais de rua.

Iniciativa

Em 2018, foi criado o grupo “Fotografia pela Democracia”, formado por fotógrafas e fotógrafos em vários lugares do país. Em Belo Horizonte, o primeiro encontro presencial reuniu 127 pessoas. As conversas continuaram pelo whatsapp, discutindo política e assuntos ligados à fotografia.

A partir do grupo de profissionais que se reúne virtualmente, surgiu a ação Fotografias por Minas, inspirada em iniciativas semelhantes realizadas em outras partes do Brasil e do mundo. O objetivo é “continuarmos com nossa união, pensando em ações e atividades de apoio entre nós e de fortalecimento da fotografia contemporânea”, conforme destaca Ísis Medeiros, uma das colaboradoras do projeto.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.